Data: 12/03/2012
Mês: Março
Ano: 2012

Segundo o INE, no 4º trimestre de 2011, o Produto Interno Bruto (PIB) diminuiu 2,8% em volume face ao período homólogo e 1,3% em relação ao trimestre anterior. A redução do PIB em termos homólogos esteve associada ao contributo negativo da Procura Interna (-10,3 p.p.), a qual foi atenuada pelo contributo positivo da Procura Externa Líquida (7,5 p.p.). As Exportações aumentaram 5,8% (VH) em volume e as Importações diminuíram 13,5% (VH). No conjunto do ano de 2011, o PIB diminuiu 1,6% o que compara com um crescimento de 1,4% em 2010. Para esta diminuição do PIB contribuiu exclusivamente a redução da procura interna (-6,2 p.p.). A procura externa líquida contribuiu positivamente (4,6 p.p.) para o crescimento do PIB de 2011. Em 2011, as Exportações aumentaram 7,4% em volume e as Importações diminuíram 5,5% face ao ano anterior.

 

i011347

 

No 4º trimestre de 2011, a diferença entre Produto Interno Bruto a preços correntes (42.226 milhões de euros) e o Rendimento Nacional Bruto (41.326 milhões de euros) diminui em 654 milhões de euros face ao trimestre anterior, em virtude de um saldo menos negativo dos rendimentos primários. Em sentido contrário, a diferença entre o Rendimento Nacional Bruto e o Rendimento Disponível Bruto (41.720 milhões de euros) aumentou, em relação ao 3º trimestre de 2011, no montante de 50 milhões de euros, em virtude de uma ligeira melhoria do saldo das transferências correntes.

i011348

No 4º trimestre de 2011, a Poupança Bruta da economia portuguesa fixou-se em 12,8% do PIB, aumentando 2,1 p.p. em relação ao trimestre anterior. A Formação Bruta de Capital fixou-se em 15,2% do PIB, diminuindo 2,1 p.p. face ao trimestre anterior. Por sua vez, registou-se uma Capacidade Líquida de Financiamento de 0,2% do PIB, o que compara com uma Necessidade Líquida de Financiamento de 5,4% do PIB. Trata-se da 1ª vez que a economia portuguesa regista uma capacidade líquida de financiamento desde o 4º trimestre de 1995. Em 2011, a necessidade líquida de financiamento fixou-se em 5,1% do PIB, menos 3,2 p.p. do que em 2010 (8,3%).

i011349

No 4º trimestre de 2011, o défice externo de bens e serviços fixou-se em 1,2% do PIB, o que compara com -3,7% no trimestre anterior e -7,5% no trimestre homólogo.

 

i011350

 

A produtividade real do trabalho registou uma variação homóloga de 0,2%. A variações homólogas do PIB em volume foram de -2,8% e a variações homóloga do Emprego, diminui 3,0% em relação ao trimestre homólogo.

i011351.jpg

 

 

Documento Original em PDF