Data: 15/07/2021
Mês: Julho
Ano: 2021

Em maio de 2021, os estabelecimentos hoteleiros acolheram cerca de 2.060,6 mil dormidas, valor superior ao registado no mesmo período do ano anterior e que se traduz numa variação homóloga de 687,7% (VH). No mês em análise, os não residentes foram responsáveis por cerca de 800,1 mil de dormidas (1.524,7%, VH), enquanto os residentes representaram cerca de 1.260,5 mil dormidas (493,6%, VH).

O Algarve concentrou 24,7% das dormidas em maio, seguindo-se a AM Lisboa (20,1%), o Norte (19,7%) e o Centro (15,0%).

De janeiro a maio de 2021, a hotelaria registou 4.784,6 mil dormidas, valor inferior ao registado no mesmo período do ano passado (-48,8%, variação homóloga acumulada – VHA).  No período em análise, os residentes foram responsáveis por 3116,0 mil dormidas (-3,6%, VHA) e os não residentes representam 1668,7 mil dormidas (-72,7%, VHA).

No conjunto dos primeiros cinco meses do ano, as regiões que apresentaram menores diminuições no número de dormidas foram o Alentejo (-0,4%), Açores (-16,4%), Centro (-26,8%) e Norte (-39,3%), enquanto as restantes regiões registaram decréscimos superiores a 50%.

No conjunto dos primeiros cinco meses do ano, em termos de dormidas de residentes, registaram-se aumentos na Madeira (+23,6%), Alentejo (16,9%), Açores (13,9%) e Algarve (8,9%).

Neste período, todas as regiões apresentaram decréscimos expressivos no número de dormidas de não residentes, com a menor redução a registar-se no Alentejo (-42,2%), enquanto as restantes regiões apresentaram diminuições superiores a 60%.

 

55

 

Em maio de 2021, os estabelecimentos hoteleiros obtiveram proveitos de 126,8 milhões de euros, o que corresponde a uma variação homóloga de 1.213,7%.

  De janeiro a maio de 2021, foram registados 251,5 milhões de euros de proveitos na hotelaria, o que se traduz numa variação homóloga acumulada de -47,8%. O Algarve concentrou 27,5% dos proveitos totais, seguindo-se a AM Lisboa (20,3%) e o Norte (19,8%).

 

56

 

Documento PDF