Data: 27/09/2016
Mês: Setembro
Ano: 2016
A Execução Orçamental revela que o saldo global das Administrações Públicas (que incluem o universo da Administração Central, Regional e Local e a Segurança Social), relativo ao período de janeiro a agosto de 2016, apresenta um valor de -3.989,5 milhões de euros, o que compara com -4.070,3 milhões de euros no período homólogo do ano anterior.
 
No que respeita à Administração Central, as receitas diminuíram 0,4% face ao período homólogo, de acordo com a síntese de execução orçamental divulgada pela Direção Geral do Orçamento. A Administração Central arrecadou menos receitas fiscais até agosto do que no período homólogo (-0,8%, VHA), totalizando 25.742,4 milhões de euros, e a contribuir para esta evolução estiveram os impostos diretos (-9,1% VHA), tendo os impostos indiretos aumentado 5,6% (VHA).
 
Quanto à despesa da Administração Central, esta aumentou 0,7% em relação ao mesmo período do ano anterior (VHA). A contribuir para este crescimento destaca-se, segundo a DGO, a evolução dos encargos associados aos juros da dívida direta do Estado, nomeadamente no que se refere aos juros de Obrigações do Tesouro e de Certificados de Aforro e do Tesouro, bem como das despesas com o pessoal, sendo, em parte, atenuado pela menor execução ao nível do investimento e das transferências associadas à contribuição financeira para a União Europeia.
 
A Execução Orçamental revela que, em agosto de 2016, o défice global do Subsetor Estado fixou-se em 5.989,6 milhões de euros (5.215,5 milhões de euros no período homólogo). No período em análise, a receita efetiva do Subsector Estado teve uma diminuição de 32,1 milhões de euros, enquanto a despesa efetiva aumentou 741,9 milhões de euros, face ao período homólogo.

ine

(Tabela: DGO)

ine

(Tabela: DGO)

Documento Original PDF