Autor(es): Gabriel Osório de Barros e Nuno Tavares
Ano: 2020

As Empresas Zombie em Portugal “sobrevivem à custa de crédito concedido pelo sistema ban-cário por não conseguirem gerar receitas suficientes para concretizarem as suas atividades normais, pagam salários acima da produtividade do seu sector e são pouco inovadoras” (Barros et al., 2017).

 

Evolução da prevalência de Empresas Zombie.pdf