Data: 01/01/2011
Ano: 2011
Em Novembro de 2010, o total de empréstimos (stocks) das Outras Instituições Financeiras Monetárias às Sociedades não Financeiras e Particulares registou uma variação homóloga (VH) de 2,2%, aumentando 0,1 p.p. em relação ao mês anterior. O stock de empréstimos às Sociedades não Financeiras registou uma variação de 0,9% (VH), aumentando 0,4 p.p. em relação ao mês anterior (0,5%, VH). Os empréstimos aos Particulares registaram uma variação homóloga de 3,4%, mantendo a tendência de redução das variações homólogas iniciada em Junho de 2010, inclusive.

1

(Gráfico: GEE)

Em Novembro de 2010, no segmento dos Particulares, os empréstimos para a Habitação e Consumo cresceram 4,6% (VH) e -1,2% (VH), respectivamente, enquanto para os Outros Fins registou-se uma variação de -0,6% (VH), o que compara com 4,8% (VH),0,4% (VH) e -1,7% (VH), respectivamente, registados no mês anterior.

2

(Gráfico: GEE)

Em Novembro de 2010, no segmento das Sociedades não Financeiras, as actividades de Transporte, armazenagem e comunicações registaram a variação homóloga mais elevada (10,6%) relativamente aos restantes ramos de actividade em análise.

3

(Gráfico: GEE)

De acordo com a mesma fonte, em Novembro de 2010 o Crédito de Cobrança Duvidosa Total, em percentagem do respectivo crédito concedido, foi de 3,7%, mantendo-se inalterado face ao mês anterior. As Sociedades não Financeiras aumentaram 0,1 p.p. de Outubro (5,1%) para Novembro (5,2%). Os Particulares mantiveram o valor registado em Outubro de 2010 (3,0%).

4

(Gráfico: GEE)

No segmento de Particulares, em Novembro de 2010 o crédito de cobrança duvidosa, em percentagem do respectivo crédito concedido, foi de 1,7% para o crédito à Habitação, 8,5% para o crédito ao Consumo e de 8,1% para os Outros fins. Enquanto o crédito de cobrança duvidosa da Habitação manteve-se constante relativamente ao mês anterior, o crédito de cobrança duvidosa do Consumo continuou a trajectória ascendente iniciada em Janeiro de 2010.

5

(Gráfico: GEE)

No segmento das Sociedades não Financeiras, o crédito de cobrança duvidosa, em percentagem do respectivo crédito concedido, mais elevado registou-se no ramo da Construção (8,4%).

7

(Gráfico: GEE)

Em Novembro de 2010, o total de empréstimos das Outras Instituições Financeiras Monetárias a Particulares e a Sociedades não Financeiras fixava-se em 141.251 milhões de euros (51%) e 138.269 milhões de euros (49%), respectivamente.

8

(Gráfico: GEE)

No segmento de Particulares, o Crédito à Habitação representava 80% do crédito concedido em Novembro de 2010. O crédito ao Consumo e a Outros Fins representavam 11% e 9%, respectivamente.

9

(Gráfico: GEE)

No segmento das Sociedades não Financeiras, o crédito concedido aos ramos da Construção e Comércio, reparação de veículos, restauração e alojamento, representavam 21% e 18%, respectivamente, do crédito concedido em Novembro de 2010.

10

(Gráfico: GEE)

No segmento de Particulares, o crédito de cobrança duvidosa à Habitação representava 46% do crédito de cobrança duvidosa em Novembro de 2010. O crédito de cobrança duvidosa ao Consumo e a Outros Fins representavam 31% e 23% do crédito de cobrança duvidosa, respectivamente.

11

(Gráfico: GEE)

No segmento das Sociedades não Financeiras, o crédito de cobrança duvidosa aos ramos da Construção representavam 34% do crédito de cobrança duvidosa em Novembro de 2010.

12

(Gráfico: GEE)

Documento Original PDF