Data: 07/07/2021
Mês: Julho
Ano: 2021

Os resultados do Inquérito ao Investimento de abril de 2021 (que decorreu entre 1 de abril e 30 de junho de 2021) apontam para um aumento em termos nominais de 4,9% do investimento em 2021, que compara com uma previsão inicial de um aumento de 3,5% indicada pelo inquérito de outubro de 2020. Os resultados deste inquérito apontam ainda para uma diminuição nominal de 13,6% do investimento em 2020, revendo em alta o resultado apurado no inquérito de outubro (-16,3%).

Relativamente a 2021, o aumento da Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) deve-se principalmente aos contributos positivos de 5,9 pontos percentuais (p.p.) das empresas do 4º escalão (mais de 500 pessoas ao serviço), em resultado de uma variação de 14,6%, e de 2,4 p.p. das empresas do 3º escalão (entre 250 e 499 pessoas), com um aumento de 15,0% do investimento. Em sentido oposto, as empresas do 1º escalão (menos de 50 pessoas) apresentaram um contributo negativo de 3,5 p.p., refletindo uma contração do investimento empresarial de 16,2%.

O principal fator limitativo do investimento empresarial identificado pelas empresas em 2020 e 2021 foi a deterioração das perspetivas de venda. Entre 2020 e 2021 prevê-se um aumento do peso relativo da dificuldade em contratar pessoal qualificado e uma redução do peso relativo da insuficiência da capacidade produtiva.

 

 

22

(Gráfico: INE)

 

Documento PDF